PALMA DE OURO EM CANNES 2015

Cartaz do filme PALMA DE OURO EM CANNES 2015
País:
TAGS:

Opinião

Difícil falar de filmes que ainda não vimos. Pra entender um pouco quem saiu ganhando neste Festival de Cannes que terminou ontem, vamos relembrar os trabalhos anteriores dos diretores e atores premiados. Assim, dá pra ter uma ideia do tempero do filme, o estado de espírito em torno do qual gira a produção

Antes de mais nada é preciso dizer que é um prazer assistir à cerimônia de encerramento. Sem enrolação e de bom tom (e gosto), teve como mestre de cerimônia o charmoso ator francês Lambert Wilson, do fabuloso Homens e Deuses e Medos Privados em Lugares Públicos.

PALMA DE OURODheepan, do francês Jacques Audiard, também dos ótimos O Profeta (que levou o Prêmio do Júri em 2009 e Ferrugem e Osso, que concorreu à Palma de Ouro em 2002. Ninguém sai imune a esses dois filmes. São fortes e intensos; obras-primas. Dizem que Dheepan lembra O Profeta, pelo fato de se tratar da história de um imigrante, mas desta vez do Sri Lanka, que vai tentar a vida em Paris.

GRANDE PRÊMIO DO JÚRISaul Fia, do húngaro Lászió Nemes. Fala da Segunda Guerra, do processo de cremação dos corpos dos judeus nos campos de concentração e da relação de um dos prisioneiros (obrigado a fazer tal trabalho) com um dos corpos que ele julga ser de seu filho. É o primeiro longa do diretor!

MELHOR DIRETORHou Hsiao-Hsien, pelo chinês The Assassin. Preciso ver os filmes do diretor. O que eu posso dizer é que os chineses estão com tudo no festival, inclusive com mais um filme de Kore-Eda, Notre Petite Soeur, também dos ótimos Pais e Filhos e O Que Eu Mais Desejo.

MELHOR ATORVicent Lindon, por La Loi du Marché. Adoro o trabalho de Lindon em Bem-Vindo, Mademoiselle Chambon (do mesmo diretor), A Criança da Meia-Noite, Tudo o que Desejamos, Augustine.

MELHOR ATRIZEmmanuelle Bercot (por Mon Roi, também  diretora de La Tête Haute, que abriu o Festival); e Rooney Mara (por Carol, também atriz em A Rede Social, Terapia de Risco, Millenium).

MELHOR ROTEIROChronic, de Michel Franco. Mexicano, ele é responsável pelo perturbador Despois de Lúcia, sobre o bullying, que levou o prêmio Un Certain Regard em 2012.

PRÊMIO DO JÚRIThe Lobster, dirigido pelo grego Yorgos Lanthimos, que ganhou o prêmio Un Certain Regard por Dente Canino.

PRÊMIO CAMERA D’ORLa Tierra y la Sombra, do diretor colombiano César Augusto Acevedo.

PALMA DE OURO DE CURTA-METRAGEMWaves 98, sobre a vida nos subúrbio de Beirute.

 

 

 

Comentários